Quando a palavra de cura fere, ‘em nome de Jesus’

O que se diz para alguém que está sofrendo? É uma situação incômoda. Quando estamos perante alguém que está sofrendo, nosso instinto natural é tentar minimizar ou apagar a dor. Queremos trazer conforto o quanto antes. Puxamos algumas palavras positivas, tentamos distrair a pessoa por um tempo, mas a verdade é que na esmagadora maioria das vezes, não há nada que possamos fazer.

Será?

evening-worship1-400x270Os brasileiros são um povo otimista ao extremo. Não faço a mínima ideia de onde isso surgiu, mas podemos estar na pior das situações econômicas, nas mãos de um governo opressor, o que seja… e mesmo assim nós “sacudimos a poeira” e arrumamos alguma coisa para mascarar a dor: seja carnaval ou sair para pegar uma praia. O brasileiro crente vai além. Uma vez que temos Cristo no coração, nosso otimismo natural ganha um novo tom. O que antes era “relaxa, isso passa” agora se torna “fica tranquilo, isso passa… em nome de Jesus”.

Há pouco mais de seis anos, minha mãe sofre de depressão. Antes disso, ela já sofria de dores crônicas na coluna. Não vou entrar nos detalhes pois já descrevi o caso aqui no blog. O que posso dizer é que a experiência afeta todos os envolvidos. Toda a família mudou por conta disso nesses anos. Não é raro passar por dias em que a esperança se apaga e o coração adoece. E nesse tempo, muitos me perguntam sobre a sua saúde, como ela está. Após meu breve “relatório”, quase sempre recebo a mesma resposta: “Ah, mas ela vai melhorar, em nome de Jesus.” Eu entendo perfeitamente que quem diz isso tem a melhor das intenções, não há dúvidas disso. Mas, do fundo da minha dor, não consigo evitar as seguintes perguntas:

Como é que você sabe que vai passar? Em nome de Jesus? Ele por acaso lhe disse isso? Onde na Bíblia que diz isso? Como é que você pode dizer uma coisa dessas? Você não tem direito algum de fazer uma afirmação dessas.

A dor produz ressentimento, naturalmente. O desafio diário é não deixar que ele tome conta da minha vida e colocá-lo perante Deus para que meu coração não perca a esperança. Mas nessas horas, confesso que o coração aperta. Me pergunto: “o que é que essa pessoa sabe que eu não sei? Como é que ela pode falar ‘em nome de Jesus’? Isso é mentira!” O pior é quando além disso ainda dizem: “Basta ter fé.” Ou seja, a dor da minha mãe é culpa dela, afinal, se ela tivesse mais fé isso já teria acabado, certo? Dizer que ouvir isso é um tapa na cara é pouco.

Quantas pessoas já não perderam a esperança em Deus por conta de falsas promessas? Quantos pastores já não oraram por enfermos dizendo “Deus vai lhe curar, eu profetizo a sua cura!”

E o tempo passa…fundo-do-poco

E Deus não cura…

E aí? Deus errou? Deus não é capaz de curar? Faltou fé? É culpa minha? Deus pode curar? Claro que pode. Mas isso não quer dizer que ele vai curar. Deus não se faz de cego perante a nossa dor, muito pelo contrário. Mas talvez o propósito dele não seja nos curar.

Não são poucos os que viram as costas para Deus por se frustrarem com a cura prometida ou “decretada” que nunca vem. Na melhor das intenções, as palavras de encorajamento ferem mais do que ajudam. Mas então fica a pergunta: o que dizemos à pessoa que está sofrendo? Voltemos para a Palavra de Deus, que é inerrante e útil para o ensino, exortação e para trazer esperança.

Lembro-me da minha aflição e do meu delírio, da minha amargura e do meu pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Todavia, lembro-me também do que pode dar-me esperança: Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade! Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nele porei a minha esperança. O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam; é bom esperar tranqüilo pela salvação do Senhor. (Lamentações 3.19-26)

Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória. Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada. (Romanos 8.17-18)

Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido. Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: “Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou”. Aquele que estava assentado no trono disse: “Estou fazendo novas todas as coisas! ” E acrescentou: “Escreva isto, pois estas palavras são verdadeiras e dignas de confiança“. (Apocalipse 21.1-5)

A verdade é que nesta vida teremos aflições, dores, angústias… A verdade é que vivemos, todos nós, num mundo manchado e corrompido pelo pecado, e é necessário que isso morra para que possamos experimentar uma vida gloriosa, sem o pecado.

Lembro do testemunho de cristãos que vivem em países onde há perseguição. Por diversas vezes, os seus pedidos não são de apoio financeiro ou até pelo fim da perseguição. Quase que unicamente, seus pedidos são para que Deus os capacite para perseverar e dar bom testemunho.

Healing Ministry-2Então como podemos consolar nossos irmãos que sofrem? Será que podemos dizer que “vai passar”? Sim, certamente. Isso a Bíblia afirma. Esta vida vai passar. Esta realidade tem “prazo de validade”. Um dia não haverá mais choro ou dor, pois seremos glorificados e estaremos na presença dele. Um dia seremos transformados e, como num piscar de olhos, todo o nosso sofrimento atual será apagado.

Quando formos consolar ou encorajar alguém que está sofrendo, temos que lembrá-las daquilo que é certo, do que nunca pode ser perdido. Temos que trazer à memória aquilo que traz esperança. Esta é a única vitória, o único decreto que pode trazer alento à nossa dor.

Da próxima vez que você estiver perante alguém numa situação de sofrimento ou estiver você mesmo sofrendo, faça exatamente isso. Lembre das promessas incorruptíveis de Deus para nós. Ore a Deus para que Ele lhe ajude a perseverar em meio à dor. E, se for da vontade de Deus, que a cura chegue. Mas que se essa não for a vontade de Deus – e às vezes não é – que não percamos a esperança de que Ele um dia vai voltar e nos levar para o nosso santo lar no céu.

 

Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License.

Direitos Reservados
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. É mandatório quem for reproduzir um post creditar: 1) Nome do autor. 2) URL do blog (com link). 3) Nome do blog: “O Blog do Andrew”.

Anúncios

5 comentários sobre “Quando a palavra de cura fere, ‘em nome de Jesus’

  1. Sem dúvida. Como se diz no popular….”pimenta, nos olhos dos outros é colírio”. Não que os outros se deleitem no sofrimento alheio, mas muitas vezes o otimismo infundado se torna mesmo em fonte de irritação e ressentimento, quase um escárnio.
    Sofremos! Crente e incrédulo! E não temos garantia que as piores coisas acontecerão somente para incrédulos (não levo em consideração a pior de todas: estar separado para sempre da Fonte da Vida), mas Deus diz em Romanos 8:28 e 29 que o fim maior de todo o sofrimento é “não mais eu, mas Cristo”.
    À semelhança de um paciente que ainda não está convencido da cirurgia e fica se debatendo com “remédios paliativos”, até que a dor se torna insuportável e ele clama para ser imobilizado, sedado e cortado pelas mãos de quem tem em mente a sua plena restauração, assim também o cristão pode não compreender a extensão de sua incapacidade e pecaminosidade até que clama: “miserável homem que sou….quem me livrará….”.
    Então desejamos ardentemente ser plenos de Jesus e vazios de nós mesmos…completamente! Isso demanda, na maioria das vezes, um processo debilitante e limitador, para que todos os nossos recursos sejam exauridos e finalmente não tenhamos outra direção para olhar….senão para cima!!!
    Estamos dispostos a trocar o alívio da ausência de dor, pelo alívio da plenitude de Jesus em nossa carne mortal??

  2. “Esta vida vai passar. Esta realidade tem “prazo de validade”. Um dia não haverá mais choro ou dor, pois seremos glorificados e estaremos na presença dele. Um dia seremos transformados e, como num piscar de olhos, todo o nosso sofrimento atual será apagado.”

    É NISSO QUE ME APEGO, E O QUE ME FAZ TER ESPERANÇA!
    Maranata!

  3. Verdade, Andrew.
    Quer outra sutilmente ruim tmb?
    “Vc tem que correr atras tmb….vc tem q se ajudar….”
    Me pergunto: e se a pessoa ja desesperançou de si propria? E se chegou no fim do poço?
    pessoalmente creio q os bem intencionados q assim falam ainda nao experimentaram a falencia dos seus proprios recursos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s