5 maneiras certeiras de motivar seu filho a usar pornografia

O texto a seguir foi escrito por Rick Thomas e foi traduzido com autorização do The Gospel Coalition. Você pode conferir o texto em inglês, publicado aqui.

Antes de entrar nas cinco maneiras certeiras de motivar seu filho a usar pornografia, deixe-me estabelecer dois pontos fundamentais. Primeiro, nenhum pai quer que seu filho se envolva com pornografia. Todos concordamos nisso. O problema para muitos de nós é que não entendemos o fascínio traiçoeiro da pornografia e a maneira como nosso comportamento, mesmo sem essa intenção, pode fazer com que uma criança seja levada a ansiar por algo que talvez escravize a por toda a vida.

63A0FA5156E14F8C4262934160C1F8Segundo, para o homem a pornografia não é principalmente uma questão do corpo da mulher. A aparência dela é um ima externo para o olho apreciar, mas o problema maior para o homem são suas ânsias mentais insaciáveis. A pornografia é, mais que qualquer outra coisa, uma questão de um teatro da mente, onde o jovem pode adentrar seu mundo virtual e ser rei por um dia – ou, nesse caso, rei por alguns minutos – enquanto sacia sua mente com uma intriga de conquista cibernética livre de qualquer risco.

E na maioria dos casos, o fascínio do viciado em pornografia começou no teatro de sua mente enquanto ainda era garoto. Este é um padrão constante que vi durante aconselhamentos.

Você verá nas minhas cinco maneiras certeiras de motivar seu filho a usar pornografia como qualquer criança pode estar numa preparação para a pornografia sem que seus pais percebam.

1. Casamento sem romance

O lar cristão deveria ser um lar sexual. Deus fez do sexo algo bom, e o primeiro casal não tinha vergonha da sua sexualidade. Foi somente quando o pecado adentrou o mundo que as pessoas se tornaram constrangidas quanto ao sexo.

Um casamento sem romance transmite a mensagem de que pessoas não merecem a pornografia. Antes que a sua boca caia até o chão, deixe-me explicar.

Uma característica principal da mente preparada para a pornografia é que algumas pessoas são dignas de serem cobiçadas, e outras não. Não há dúvida a respeito de que tipo de mulher é digna de ser cobiçada. Não há uma mulher sequer nos Estados Unidos que não saiba – razão pela qual muitas delas são obcecadas com a sua aparência, seu peso e a roupa que vestem.

O marido que não procura a sua mulher de maneira romântica transmite aos seus filhos uma noção de que ela não merece ser desejada. Ela não se encaixa no padrão. Além disso, quando as mentes das crianças estão cheias de comerciais e filmes sensuais, elas começam a perceber o tipo de beleza que é digna da sua admiração. Nossos filhos precisam ser ensinados a respeito da verdadeira beleza, tal qual aquela observada no relacionamento entre o pai e a mãe.

O homem destaca a verdadeira beleza ao procurar a sua esposa no lar. As crianças precisam ver o afeto romântico matrimonial, como beijos e abraços. Andar de mãos dadas, dançar na sala de estar, abraços demorados e uma beijoca na frente dos filhos são lindos exemplos de quem e o que é digno do amor do homem.

2. Gratificação instantânea

O filho mimado que ganha tudo que quer é o candidato perfeito para o condicionamento à pornografia. Um número excessivo de crianças raramente ouve a palavra não. Geralmente recebem os desejos do seu coração. Consequentemente, desejos se tornam expectativas.

Todos concordamos que o acesso à pornografia hoje é exponencialmente mais fácil que há vinte anos. Se a criança espera que alguém satisfaça seus desejos egoístas, não será difícil para ela ser atraída à pornografia.

  • A criança mimada ganha o que quer, na hora que ela quer, sem considerar se é certo ou errado.
  • A pessoa viciada em pornografia ganha o que quer, na hora que ela quer, sem considerar se é certo ou errado.

A gratificação instantânea na criança gera a gratificação instantânea no adulto.

3. Casais que não se comunicam

Uma das reclamações comuns que ouço de casais nos aconselhamento matrimonial é a falta de comunicação. Eles raramente conversam um com o outro. Se o fazem, geralmente é em relação a eventos de família, transações mútuas e negócios da vida a dois.

Esse é a configuração perfeita para preparar uma criança para a pornografia, já que a pornografia tem nada a ver com a comunicação verbal. Pornografia é uma questão de apreciar mulheres visualmente a fim de alimentar a mente. Pra quê conversar?

O cerne do uso da pornografia é o egoísmo privatizado. O cerne do casal que não se comunica é o egoísmo privatizado. São duas pessoas casadas uma com a outra, mas que vivem em seu próprio mundo privado. O homem que não conversa com sua esposa transmite uma mensagem em alto e bom som: ela não é digna das suas palavras.

Nada desvaloriza e menospreza uma mulher mais que a pornografia. O sexo feminino é objetificado somente com o propósito de ser usado de maneira escrava para satisfazer a mente do homem. Neste cenário não há comunicação.

Maridos, seus filhos precisam ver o valor que você dá a sua mulher no momento em que você dá a ela as melhores palavras do seu dia. Não estou falando sobre as palavras que atendem às necessidades da programação familiar ou do orçamento do lar. Estou falando de palavras que edificam, estimam e adoram a mulher. Mostre o valor que você dá à noiva com quem você se casou. Deixe que ela seja exaltada na mente dos seus filhos.

4. Ações inconsequentes

Há uma ação paralela ao dar às crianças tudo o que querem: não dar consequências para as suas ações.

A criança que não tem que pagar pelo que faz de errado aprenderá a sair impune em qualquer situação. Isso, também, é uma grande característica do vício em pornografia. Ela mune o viciado de uma falsa confiança num ambiente virtual livre de risco.

A criança tem que ter uma visão compreensiva do amor, o que significa que elas devem ser devidamente disciplinadas quando fizerem algo de errado (Hb 12.6). A criança mimada que não sofre as devidas consequências terá pouquíssimo respeito por regras ou autoridade.

A pornografia não tem regras e oferece pouquíssimo risco. Não precisa-se de muito para entrar no mundo da pornografia. Não é que nem assaltar um banco – o que torna o fascínio ainda mais tentador. A criança que sabe que não terá que lidar com as consequências dos seus atos é presa fácil para as garras da pornografia.

5. Comunhão crítica no lar

resizedimage257200-Teen-on-Internet

O seu lar é uma comunidade crítica? Ou será que há mais encorajamento, louvor, afirmação e amor?

O mundo da pornografia é uma válvula de escape. É um refúgio sem risco onde o viciado pode estar no controle enquanto satisfaz sua mente fatigada. E não há lugar que mais afetará o que acontece na sua mente que o seu lar. Se o lar não for um refúgio de encorajamento, então o seu filho será tentando a se refugiar em outros lugares.

A pornografia é um dos lugares mais fáceis de se deixar levar pelo momento. Ela oferece um poder de satisfação que não pode ser experimentado no mundo real. O homem pode entrar no seu vício momentâneo e aproveitar o momento sem temer qualquer condenação, julgamento, crítica ou desapontamento. Ele tem que somente ajustar a sua consciência a fim de alimentar o seu hábito.

Uma vez que a consciência estiver devidamente cauterizada, ele está livre (pelo menos ilusoriamente). O melhor antídoto para esse tipo de pensamento deturpado é criar uma cultura de encorajamento no seu lar.

A criança condicionada à pornografia

O condicionamento para a pornografia não acontece de propósito. Ele acaba se tornando o padrão para o tipo de lar criado por pais negligentes.

Mas a boa notícia para a pessoa humilde é que ela pode examinar sua mente e seu comportamento e, por intermédio da graça capacitadora de Deus, ser transformada. Ninguém está além da redenção de Jesus.

Pais, perseverem para implementar as mudanças sugeridas em cada um desses cinco pontos. E então faça planos para ser surpreendido por Deus. A sua Palavra é verdade, e Ele concede graça aos humildes (Tg 4.6).

Para saber mais a respeito de Rick e do seu ministério, acesse RickThomas.net

 

Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License.

Direitos Reservados
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. É mandatório quem for reproduzir um post creditar: 1) Nome do autor. 2) URL do blog (com link). 3) Nome do blog: “O Blog do Andrew”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s